O Violino do Titanic, leiloado 101 anos após o naufrágio

Em 19 de outubro de 2013, no Reino Unido, foi leiloado por "míseros" hum milhão e setecentos mil dólares o presente que Maria Robinson deu ao seu então noivo Wallace Hartley.

O presente trata-se do violino que o músico Wallace Hartley, aos seus 21 anos de idade, tocou quando do naufrágio do Titanic, em abril de 1912.

Mas, que Titanic? Que Maria Robinson? Que Wallace Hartley? Gente, que violino?

Muitos de vocês devam estar fazendo estas perguntas. Obviamente que aqueles de mais idade sabem, pelo menos em parte, da história que envolveu o grande navio transatlântico chamado de Titanic e considerado, na época, como o maior navio de transporte de pessoas.

Mas vem cá que em rápidas palavras vou te contar toda a história.

No dia 14 de abril de 1912, de noite, o Titanic, em sua primeira viagem colidiu com um iceberg. O navio afundou completamente durante a madrugada do dia 15.

Havia a bordo cerca de 2.223 pessoas, das quais morreram 1.517. Das pessoas abordo e mortas, estava uma orquestra de Câmara, cujo primeiro violino e regente era o jovem inglês Wallace Henry Hartley. Todos os integrantes da orquestra morreram.

Dez dias após o naufrágio, Wallace Hartley foi encontrado nas águas do oceano Atlântico, local onde o navio afundou.


O músico, quando de seu noivado com Maria Robinson, foi presenteado pela noiva com um violino o qual tinha no estandarte uma placa de prata com a inscrição: "For Wallace for the occasion of our engagement from Maria"
Violino usado por Wallace durante o naufrágio do Titanic
À época em que fora encontrado o corpo de Wallace, os jornais noticiaram que havia sido encontrado junto o violino do músico. Outros, afirmavam que no inventário de materiais encontrados não havia violino algum.

Enquanto a mídia se debatia e profissionais também palpitavam, um violino era encaminhado, pelas autoridades canadenses, a Maria Robinson, cuja, em carta encontrada posteriormente, agradecia a todos que contribuíram para que o violino de seu noivo retornasse para ela.

Este violino permaneceu com Maria até o ano de 1939, quando esta faleceu e sua irmã o doou a uma instituição chamada de Bridlington Salvation Army. Pouco tempo depois um professor de violino entregou o instrumento para uma família que guardou o violino por cerca de 70 anos.

No ano de 2006, um senhor, na Grã-Bretanha, vendeu o referido violino para uma casa de leilão especializada em artefatos do Titanic.

Para confirmar a autenticidade do violino, o mesmo foi submetido a diversos testes pelo Forensic Science Service. Análises internas, da madeira, da cola e da placa de metal revelaram que se tratava do violino de Hartley.

Cogitou-se, inicialmente, expor o instrumento em Belfast, na Irlanda do Norte, onde o Titanic foi construído, mas, o capitalismo falou mais alto e o violino foi leiloado por Henry Aldridge & Son, na cidade de Devizes, Wiltshire, na Inglaterra.

Ainda hoje existe pessoas que discordam da autenticidade do instrumento, mas isso é pano para outra blusa, porque agora já era!

Mas diante toda a história aqui contada você deva se perguntar qual a importância disso; porque somente o violino de Wallace teve tamanha repercussão.

Ora, Wallace Henry Hartley era o regente do grupo de câmara designado para tocar durante toda a viagem do Titanic. Quando este começou a afundar, o regente, num ato de valentia e de amor à música convidou os músicos a continuarem a tocar.

A ideia ali era amenizar através dos suaves sons emitidos daquelas cordas, o desespero e a dor que tomava todos naquele navio.

A coragem e o ânimo daquele momento fizeram de todos os músicos, especialmente do regente do grupo, ícones de forte representação, e o violino, único material que sobrou, tornou-se símbolo do Titanic.

Para saber mais sobre o violinista, acesse Vida de Wallace Hartley

Para conhecer um pouco mais sobre o navio, acesse História do Titanic
Partilhar no Google Plus

Sobre Ciência de Arte

Se você procura arte, ciência, música, humor, dicas, economia, finanças e muito mais, você está no lugar certo! Divirta-se e atualize-se com Ciência de Arte.